X

NOTÍCIAS

Publicada em 08/03/2021 às 16:00 | Atualizada em 08/03/2021 às 15:53

Imprensa britânica faz críticas à Meghan Markle e príncipe Harry após entrevista com Oprah Winfrey: É tarde demais para indicações ao Oscar?

Piers Morgan, um dos jornalistas mais famosos da Inglaterra, falou bastante sobre o assunto nas redes sociais

Da Redação

Montagem-The Grosby Group

Piers Morgan, um dos jornalistas mais famosos da imprensa britânica, fez duras críticas à Meghan Markle e príncipe Harry após a entrevista do casal para a apresentadora Oprah Winfrey. Durante o programa Good Morning Britain, Morgan se referiu à conversa como um amontoado de lixo de duas horas contra a família real e ainda zombou dos discursos de Meghan, afirmando que a duquesa merecia uma indicação ao Oscar por sua postura durante a interação com Oprah. 

Eles não sabem soletrar a palavra compaixão. Eles falaram mal do pai dele, do irmão, da cunhada, da rainha, da monarquia... e devemos acreditar em compaixão? Membros da equipe dela no palácio disseram que ela [Meghan] praticou bullying, e quando essas alegações foram feitas, o time dela afirmou que eram mentira, um absurdo, não levaram a sério. Mas temos que levar tudo o que ela diz como um Evangelho? Temos que ter respeito? Ela não mostrou respeito às supostas vítimas de bullying, as quais ela supostamente traumatizou. Se elas começarem a falar, saberemos de uma história bastante diferente do que foi tratado como compaixão. Mas não poderemos ouvir essas histórias, pois elas foram colocadas de lado por Meghan e Harry. Só a verdade deles importa.

Nas redes sociais, Morgan continuou expressando a sua opinião sobre o casal.

Harry quer que a América e o resto do mundo odeiem sua própria família, odeiem a monarquia e odeiem seu país. Sugiro que todos esperem que as vítimas da violência de sua esposa deem uma opinião sobre suas reivindicações bizarras antes de começarem a odiar.

E deu a entender que Meghan estava mentindo durante a entrevista.

É tarde demais para indicações ao Oscar?, escreveu o jornalista.

Kevin Maguire, que também participou do Good Morning Britain, alegou que a conversa deixou mais perguntas do que respostas.

Eles [Meghan e Harry] pareciam sobreviventes de um estranho culto real, que saíram e agora estão fazendo terapia com Oprah Winfrey. Sim, precisamos saber mais. Quem perguntou a ele sobre a cor da pele de seu filho? Foi seu irmão? Foi o pai dele? Foi seu avô? Foi um tio? Foi uma tia? Quem era e qual era o contexto, porque isso é extremamente prejudicial.

Temos que lembrar que Meghan e Harry eram os futuros rostos da família real, eles eram puro outro. Eles eram adorados... e deu terrivelmente, terrivelmente errado em ambos os lados. Por que isso aconteceu? O que isso diz? Em primeiro lugar, sobre o Duque e a Duquesa de Sussex... e em segundo lugar, o que isso diz da Grã-Bretanha moderna, no ápice da classe alta, a monarquia hereditária... nós pagamos por isso porque eles servem ao público. Eles podem servir ao público britânico se são racistas? Não, não podem. Esta é a maior crise que a família real enfrenta, muito maior do que Diana agora... É pior do que eu pensava que seria para o Palácio de Buckingham. Isso é pior do que eles estavam preparados.

Já Robert Jobson, especialista na história da família real, declarou que a única pessoa que ganhou com a entrevista foi a apresentadora Oprah Winfrey. 

Meghan Markle, cujas habilidades de atuação já eram exageradas, dá uma atuação afetada e acentuada. As pausas dramáticas são tão óbvias. Mas não é como ela diz, é o que ela diz que é mais prejudicial. Rotular a família real de racista sem ser específico é terrível. Ela e Harry sabem que isso é hipocrisia. 

As alegações sobre saúde mental são ainda mais preocupantes. Meghan diz que era suicida, que não queria viver e não era seguro deixá-la sozinha. Isso é muito triste. Mas ambos Harry e Charles tiveram aconselhamento. Meghan diz que a rainha a rejeitou. Por que ela simplesmente não pediu a Harry para organizar uma prática particular de saúde mental? Ambos trabalharam com instituições de caridade de saúde mental, então não é como se eles não soubessem para onde ir ou pedir ajuda.

Meghan afirmou que Kate a fez chorar e ela se desculpou por isso. Novamente, isso é injusto, pois Kate dificilmente poderá responder. Não consigo ver o Palácio saindo com uma resposta imediata. Mas eles certamente devem responder, apesar das afirmações. E depois das alegações de que um membro da família real é abertamente racista, certamente isso precisa ser abordado.

Johnson falou sobre o tema em entrevista ao tabloide Daily Mail. De um modo geral, parece que a única acusação que intriga a imprensa britânica é a de racismo. E você, o que achou dessa história toda?



A seguir, saiba mais sobre o afastamento de Meghan Markle e príncipe Harry da realeza britânica:


Diversos veículos internacionais especulam que essa vontade do Duque e da Duquesa de Sussex de deixar a família real tem a ver com as constantes críticas que ambos estavam sofrendo desde que assumiram o relacionamento, em 2016. Após o casamento, em maio de 2018, os dois reclamaram da perseguição da mídia inglesa e até desabafaram sobre o assunto algumas vezes. O casal até mesmo chegou a processar tabloides.

Deixe um comentário

Atenção! Os comentários do portal Estrelando são via Facebook, lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook.

Enquete

Você acha que Anitta e Bruno Montaleone estão juntos?

Obrigado! Seu voto foi enviado.