X

NOTÍCIAS

Publicada em 13/10/2019 às 11:46 | Atualizada em 13/10/2019 às 14:42

Prestes a dar à luz, Fernanda Lima exibe barrigão em fotos nua e fala sobre gestação: A mulher passa por um momento de solidão

Em entrevista à revista Ela, do jornal O Globo, apresentadora afirmou que a mulher grávida é anulada perante a sociedade

Da Redação

Divulgação

Capa da nova edição da revista Ela, do jornal O Globo, Fernanda Lima abriu o jogo sobre sua segunda gravidez - ela está à espera de uma menina, fruto da relação com Rodrigo Hilbert e já é mãe dos gêmeos, João e Francisco. Discreta em relação a vida pessoal e também como encarou a gestação, a apresentadora acabou revelando que não está sendo fácil gestar mais um bebê, já que sofre da mesma condição de Kate Middleton e Tatá Werneck:

- Eu tenho hiperêmese gravídica (complicação caracterizada por náuseas e vômitos) . Fiquei de cama, fui para o soro... Ou seja, não sou uma pessoa que fica legal durante a gestação, sou uma mulher que fica enjoada. Quando estava esperando os gêmeos, parei de passar mal entre o quarto e o quinto mês. Nesta gravidez, vomitei até semana passada, ainda estou passando mal. Fora que, por estar mais velha, também estou um pouco mais cansada. Então, é assim: eu não tenho a mesma disposição para a vida no geral, não só para o sexo. Só não perdi a vontade de comer. Tanto que ganhei 15 quilos. Não sei o que acontece, são quatro quilos por mês, um por semana..

A apresentadora ainda disse refletiu sobre como a mulher grávida é vista pela sociedade, concluindo que o assunto ainda é tabu: 

- Nesses oito meses, nas poucas vezes que consegui ir à academia, apenas dois homens olharam para mim e falaram: ‘Nossa, que barriga linda!’. Todos os outros parecem ter medo. Neste estado, a mulher fica tão animal, tão forte, tão rica, que assusta um pouco. Toda hora eu penso na Leila Diniz (que, grávida, escandalizou a sociedade ao usar biquíni duas peças na Praia de Ipanema, em 1971) . Sinto que a mulher grávida é anulada, como se falassem algo do tipo: ‘Fica aí no seu canto, faz o seu trabalho e volta depois de parir’. Acho isso muito louco. Seis anos atrás, fiz um Amor e sexo sobre gravidez: foi, disparado, o pior ibope de toda a história do programa. O assunto ainda é um tabu, sim.

A comprovação veio dentro de casa, com o próprio marido, que só se sentiu à vontade para tocá-la na segunda gestação dela: 

- Mesmo sendo um cara do mato, mais xucro, com uma relação forte com a natureza, na minha primeira gestação, o Rodrigo não queria encostar em mim... Até para sexo! Eu dizia para ele que não tinha problema, mas não adiantava. Ele tinha medo de machucar. Isso é falta de informação. Nesta segunda gravidez, ele está muito mais íntimo da minha barriga.

Fernanda ainda reconhece que é uma mulher grávida privilegiada e que existem gestações que são fáceis e outras não, como é seu caso, mas que é preciso desromantizar a gravidez como um todo: 

- Claro que tem mulher que fica muito bem e não dá para dizer que toda gravidez é complicada, que toda gravidez é chata. Mas acho que precisamos falar mais sobre quem passa por dificuldades do que romantizar a gestação, como se não fosse nada demais ficar grávida. Fala-se muito pouco sobre as mudanças físicas e hormonais. A mulher passa por um momento de solidão, porque só a gente sabe o que está sentindo. A gravidez não é doença, mas é um estado que precisa de atenção, que necessita de um olhar. Todo dia, quando vou dar uma bufadinha, penso na grávida que pega ônibus lotado e ainda tem que ouvir desaforo do chefe, porque muitas mulheres precisam trabalhar até o finalzinho. Poucas são as privilegiadas que podem fazer uma drenagem no meio da tarde e vir aqui te encontrar para um café.


Ver essa foto no Instagram

Grávida de oito meses, @fernandalimaoficial é a nossa capa deste domingo. Em uma conversa franca com a nossa @joanadale, ela fala sobre os preparativos para a chegada da filha ("ainda não decidimos se será Maria puro ou Maria alguma coisa"), conta que sofre de hiperêmese gravídica (complicação caracterizada por náuseas e vômitos), diz que barrigão é tabu e endossa a importância de encarar a gravidez de frente: "Acho que precisamos falar mais sobre quem passa por dificuldades do que romantizar a gestação". Confira a entrevista completa nas bancas e no nosso site (link na bio). (Fotos: @antonioevaristto | Beleza: @aledesouza1970 | Produção: @luizplinio)

Uma publicação compartilhada por Ela - Jornal O Globo (@elaoglobo) em


Antes, ela já tinha falado que sofre de hiperêmese gravídica, que nada mais é do que uma série de ocorrências de vômitos incontroláveis durante a gestação, resultando até em uma desidratação, em perda de peso e cetose. Comentando uma publicação de Tatá Werneck, também grávida, ela escreveu: - Tatá, antes preciso te mostrar uma alternativa ao balde, que tenho usado muito. Tu não vai acreditar! Tenho intimidade com hiperêmese. Dessa vez, me aperfeiçoei, compartilhou a esposa de Hilbert.

Deixe um comentário

Atenção! Os comentários do portal Estrelando são via Facebook, lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook.

Enquete

Qual curiosidade sobre a Rainha Elizabeth II você achou mais diferente?

Obrigado! Seu voto foi enviado.