X

NOTÍCIAS

Publicada em 26/10/2015 às 09:50 | Atualizada em 26/10/2015 às 09:56

Marco Nanini fala do novo personagem e garante: - Ser liberal nunca é demais

O ator estará na próxima novela das 18 horas da Globo e revelou como está se sentindo com o trabalho

Da Redação

Divulgação-TV Globo

Marco Nanini, que teve diversos famosos o prestigiando em novo musical e completou 50 anos de carreira, está em uma nova fase da vida, depois do fim de A Grande Família, da Globo. Em entrevista ao jornal O Globo, o ator contou que está determinado a parar de fumar e já comprou produtos à base de nicotina, mas ainda não sabe quando vai começar a usar:

- É bom viver em idade avançada. Sempre se aprende. Não tenho problema com isso, só me preocupo com a saúde, quando atinjo três dígitos no peso. Já comecei o regime. E tem o cigarro. É difícil, mas vou largar essa porcaria.

O astro também explicou que quando está criando um personagem, fica completamente pensando nele e não sobra espaço para outros planos. No momento, sua atenção está toda voltada a Pancrácio, um professor de Filosofia, que vai viver na próxima trama das 18 horas de Walcyr Carrasco, com previsão para estrear em janeiro, na Globo:

- Começar um trabalho é mergulhar num mundo desconhecido. Você vai criando, acerta, erra. Isso assusta. Tranquilidade não existe para um ator. Mas estou animado. Pancrácio tem um pensamento filosófico interessante. Ele acredita que o que acontece de ruim é para o bem. Será o mentor de Candinho (Sergio Guizé, o protagonista)

E a nova trama promete tirar completamente a ideia do Linelzinho, seu antigo personagem. Ele usará perucas, barbas postiças e roupas de época:

- É sempre um luto terminar uma longa relação, com os personagens e com os atores. Mas uma hora tem que acabar. Ninguém terminou (a série) brigado, sem querer olhar para a cara do outro. Foi tudo organizado, premeditado e digerido. Sinto uma saudade boa.

O ator sempre se mostrou muito caseiro, mas, em suas raras saídas, conta que sempre recebe o carinho do público:

- O público é cruel, ama e odeia. Comigo todos riem, falam do seriado. Mas ninguém sai correndo atrás da minha cueca. Nunca fui galã.

Aos 67 anos, Marco falou de sua homossexualidade pela primeira vez à revista Bravo!, no ano de 2011 e acredita que existe uma onde conservadora, no mundo atual:

- É só ver esses radicalismos religiosos. A falta de tolerância é grande, e encaro com preocupação. Vivi os anos 1960, uma época libertária, com revoluções sexual e hippie, drogas e rock’n’ roll. É estranho retroceder. Ser liberal nunca é demais.

Deixe um comentário

Atenção! Os comentários do portal Estrelando são via Facebook, lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook.

Enquete

Você ficou triste ao saber que Chaves não será mais exibido na TV?

Obrigado! Seu voto foi enviado.