X

NOTÍCIAS

Publicada em 07/12/2017 às 08:17 | Atualizada em 07/12/2017 às 08:59

Eleita uma das personalidades do ano pela Time, Taylor Swift fala sobre casos de assédio

Revista norte-americana trouxe de atriz a lavradora, que foram vítimas de assédio, em capa dos perfis que marcaram o ano

Da Redação

Divulgação

O ano de 2017 irá ficar para sempre marcado como ano em que inúmeras mulheres conseguiram quebrar o silêncio e denunciar publicamente terem sido vítimas de caso de assédio dos mais variados tipos. Pensando nisso, a revista Time elegeu neste ano as personalidades que simbolizaram a campanha Me Too, que significa Eu Também em português, disseminada através das redes sociais após os escândalos de abusos envolvendo o produtor de Hollywood Harvey Weinstein virem à tona.

Na capa, cinco mulheres representam a coragem de falar sobre um assunto tão delicado e constrangedor para as vítimas. De atriz a lavradora, a publicação explica que elas são as silence breakers, as que romperam o silêncio e se tornaram as vozes do movimento, que se tornou um sucesso após uma publicação de Alyssa Milano que popularizou a hashtag escrevendo no Twitter: Eu também. Sugerido por uma amiga: Se todas as mulheres que foram assediadas ou abusadas sexualmente escrevessem eu também, talvez as pessoas percebessem a magnitude do problema. Se você também foi assediada ou abusada sexualmente, escreva eu também como uma resposta a esse tweet.

As ações encorajadoras das mulheres em nossa capa, assim como de centenas de outras e também de homens, desencadearam uma das mudanças mais rápidas em nossa cultura desde a década de 1960. A rede social agiu como um acelerador poderoso: a hashtag #MeToo já foi usada milhões de vezes em pelo menos 85 países, explicou a revista em seu editorial

A lavradora Isabel Pascual, a lobista Adama Iwu, e a ex-engenheira do Uber Susan Fowler estão ao lado das celebridades que deram força ao movimento publicamente, como Taylor Swift e Ashley Judd. Enquanto a cantora, que faz sucesso entre os adolescentes, conseguiu levar à justiça o DJ David Mueller, que foi acusado de ter pego em suas partes íntimas contra sua vontade e publicamente, Judd foi a primeira mulher que revelou que Harvey Weinstein, o magnata do cinema, a assediou sexualmente, trazendo à tona o depoimento de outras mulheres que se sentindo encorajadas pela atriz revelaram publicamente os casos de assédio do qual foram vítimas por parte do poderoso de Hollywood, que até então cometia os atos no silêncio, uma vez que o forte sobrenome e a carreira consagrada impediam que muitas se sentissem silenciadas. 

Em entrevista, Taylor Swift encorajou outras pessoas a quebrarem o silêncio: Você pode ser forçada a sentir que está reagindo de forma exagerada, porque a sociedade fez com que essas coisas parecessem ocasionais. Meu conselho é que você não se culpe e que não aceite a culpa que os outros tentarão colocar em você. Você não deve ser culpada por esperar 15 minutos ou 15 dias ou 15 anos para denunciar agressão ou assédio sexual, ou pelo o que acontece com uma pessoa depois que ele ou ela faz a escolha de assediar ou agredir sexualmente.

Embora a consciência seja mais forte do que nunca sobre o assédio sexual no local do trabalho, ainda há tantas pessoas que se sentem vítimas, com medo e silencias por seus abusadores e circunstâncias, completou a cantora ao falar que Mueller acabou sendo condenado a pagar uma indenização simbólica de um dólar, pouco mais de três reais, pelo crime, mas que garante não ter recebido o dinheiro até hoje: Até hoje ele ainda não me pagou esse dólar e acho que essa atitude provocadora dele é simbólica por si só.

#TimePOY

Uma publicação compartilhada por Taylor Swift (@taylorswift) em

A seguir, veja quem são os famosos que estão envolvidos em acusações de assédio!

Em 2015, Steven Seagal estava sendo processado por assédio sexual pela ex modelo Kayden Nguyen, e agora, dois anos depois, o ator está sendo acusado de novas atitudes abusivas. Portia de Rossi, que faz parte do elenco da série Scandal, revelou em uma publicação feita no Twitter que o mestre das artes marciais a assediou durante uma das audições que fez para um dos filmes do ator. Segundo a People, outra atriz também o acusou. Julianna Margulies, de The Good Wife, afirmou que foi chamada para uma reunião com Steven e que, quando chegou, ele estava portando uma arma: - Quando eu tinha 23, uma diretora de elenco, uma mulher, me disse: Steven Seagal quer passar a cena com você em seu hotel as dez da noite. Eu morava no Brooklyn e disse: Não faço isso, não viajo, não tenho dinheiro para um táxi. Eu realmente não tinha e continuei dizendo: Não vou pegar o metrô tarde da noite. E ela disse: Não se preocupe, vamos reembolsá-la e eu estarei aqui, uma mulher. Eu cheguei no hotel as dez e quarenta e ela não estava lá. Ele estava sozinho e fez questão que eu visse sua arma, eu nunca tinha visto uma arma na vida real. Eu sai de lá ilesa. A atriz e apresentadora Lisa Guerrero também relatou uma situação de assédio. Guerrero contou que Seagal pediu para que ela tirasse o vestido durante uma audição, e que ela se recusou e discutiu com ele.

Deixe um comentário

Atenção! Os comentários do portal Estrelando são via Facebook, lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook.

Enquete

Qual polêmica recente de Kim Kardashian fez com que você ficasse mais chocado?

Obrigado! Seu voto foi enviado.