X

NOTÍCIAS

Publicada em 23/08/2019 às 14:48 | Atualizada em 23/08/2019 às 14:48

Luiza Braga fala sobre viver dependente química no filme Uma Noite Não é Nada: - Vi o roteiro fiquei com um pouco de medo

A atriz estrela o longa, que está em cartaz nos cinemas brasileiros

Carolina Stramasso

Divulgação

Aconteceu na última quinta-feira, dia 22, a estreia de Uma Noite Não é Nada, filme que retrata de maneira profunda indivíduos que buscam refúgios nas drogas e conta a história de Márcia, uma dependente química soropositiva e estudante de supletivo. A personagem, complexa e profunda, foi a estreia de Luiza Braga como protagonista e, em entrevista ao ESTRELANDO, a atriz explicou como foi o processo de preparação do papel, desde o momento que viu o roteiro, até as gravações.

- A Márcia é muito densa e vive uma inconstância grande ao longo do filme. Eu vejo ela como um copo cheio de água prestes a transbordar o tempo todo, muito intensa. Então, a primeira vez que vi o roteiro fiquei com um pouco de medo, declarou.

Porém, todo o receio caiu por terra quando Luiza descobriu que faria o papel.

- Eu comecei a me debruçar sobre o universo dela e aí veio um prazer muito grande porque ela é muito distante de mim, da minha personalidade. E isso eu acho que é o prazer de todo o ator que precisa descobrir outras formas de existências, outras formas de levar a vida. Esse é o grande barato da profissão.

De acordo com Luiza, dar vida à Márcia precisou de muita preparação justamente pela condição em que a personagem se encontra. 

- Eu fiz vivências em alguns abrigos de São Paulo com mulheres dependentes químicas, aprendi a tocar bateria e fiz um período de treinamento com um professor da Unicamp, que é um psiquiátrica especialista no vício de cocaína injetável. Com isso eu pude entender tecnicamente e fisicamente o que acontece com o corpo de uma dependente química para me ajudar a construir a personagem.

Fora as vivências, a atriz também passou por uma dieta pesada e ficou um mês e meio fazendo atividades físicas todos os dias. Ao todo, perdeu nove quilos para viver o papel.

- A personagem precisa ter uma fragilidade física, ela está doente. Então eu precisei perder muito peso pra trazer o rosto, para o olhar, os aspectos dela. Foi um processo bem intenso porque paralelo à perda de peso, eu tive que dar conta de todo o resto: fazer as vivências nos abrigos e com o psiquiatra, cortar o cabelo, os insights de cena, preparação de elenco, prova de figurino e maquiagem.  

Logo abaixo, relembre os atores que fizeram sacrifícios por um papel!


Tom Hanks acabou recebendo uma indicação ao Oscar pelo filme Náufrago, de 2000. Mas, antes da glória, o ator teve que ralar muito para encarnar um homem que fica preso em uma ilha deserta. Só para se ter uma ideia, além de ter deixado a barba crescer, Tom também teve que perder cerca de 25 quilos.

Deixe um comentário

Atenção! Os comentários do portal Estrelando são via Facebook, lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook.

Enquete

De que lado você está na briga entre Zezé Di Camargo e Zilu Camargo?

Obrigado! Seu voto foi enviado.