X

NOTÍCIAS

Publicada em 20/12/2019 às 19:20 | Atualizada em 23/12/2019 às 10:17

Antônia Fontenelle toma as dores da mãe dos filhos de Gugu Liberato, entenda!

O advogado de Rose Miriam comentou com o ESTRELANDO sobre a vinda dela para o Brasil

Da Redação

Divulgação

Parece que a história de herança de Gugu Liberato não vai chegar nunca ao fim! Agora até mesmo Antônia Fontenelle que já viveu o mesmo dilema e história em seu passado, tomou as dores da viúva de Gugu e decidiu falar sobre o assunto. Lembrando que a loira também foi parar na Justiça por conta da herança de seu falecido marido, Marcos Paulo.

Isso é inacreditável. Eu espero que seja um ledo engano e que não esteja acontecendo. Do contrário, que país é esse? A Rose não precisa ir a lugar nenhum para dizer que tem direito, sim, a parte da herança do Gugu. Ela foi esposa dele por duas décadas, é mãe dos três filhos dele. Ter de brigar com irmãos e sobrinhos? Eles não têm direito a nada. De onde tiraram isso? A Rose é mãe dos filhos dele, é uma coisa pública e notória.

Ainda em seu desabafo nas redes sociais, Fontenelle comenta que acredita que Rose não vá em lugar algum e muito menos em programas televisivos ou jornais para expor ainda mais a situação.

Gugu não merece passar por isso. A Rose deu ao Gugu o que ele mais queria: uma família. E ele se dedicou a essa família. Eu fico sem palavras!

Mas não é só isso. Como você viu aqui no ESTRELANDO, Rose Miriam, mãe dos três filhos de do apresentador que morreu em novembro, acionou nesta sexta-feira, dia 20, a Justiça para ter direito aos bens deixados pelo apresentador. E neste mesmo dia, o advogado Nelson Wilians, da ex-companheira do apresentador, acabou pontuando algumas partes importantes sobre todo esse processo da vinda da viúva para o Brasil.

Não é verdade que Rose Miriam Souza Di Matteo veio ao Brasil sem o conhecimento dos filhos. Isso é para difamar a imagem da viúva perante à opinião pública. Uma pessoa que se encontra fragilizada por tudo o que aconteceu nas últimas semanas. Vale lembrar que seu marido e companheiro de quase duas décadas praticamente morreu em seus braços e na frente dos filhos.

O que mais chama a atenção de todos nesta história nem é o fato de Rose estar no Brasil, e sim dela ser forçada a assinar alguns documentos por alguns advogados, e Nelson Wilians esclarece os pontos.

Rose foi assediada e constrangida ainda no dia do enterro de Gugu. Seu luto não foi respeitado. Poucas horas após o enterro ela foi forçada a assinar documentos pelo advogado da família de Gugu. No dia 18 deste mês, ela registrou um Boletim de Ocorrência contra o advogado. 

Além disso, o advogado ainda deixou claro alguns pontos sobre a união estável do casal.

Rose tem o apoio de sua família para ser reconhecida como esposa e companheira de Gugu. Rose quer ser reconhecida por sua união estável, que é a realidade e a verdade: com Gugu vivo, ela era a companheira/esposa dele; com Gugu falecido, é a viúva e herdeira. A expectativa é de que seja reconhecido esse direito rapidamente pela Justiça. A união estável entre o casal é clara, não paira nenhuma dúvida. Fato notório. Quem quer colocar dúvida é porque tem interesses escusos. Os requisitos para a união estável são: relacionamento público, contínuo, duradouro, com intenção de estabelecer família. Tudo caracterizado no relacionamento deles. Gugu era o único provedor de sua família. Vale ressaltar que, no momento em que conseguir o reconhecimento da união estável, que é caracterizada quando as partes têm o propósito de constituir família, Rose se comprometeu a doar os bens móveis e imóveis aos filhos, reservando para ela somente o usufruto suficiente para sua mantença [sustento]. Isso foi expresso por meio de Declaração em Cartório de Registro Público. Os filhos dela em nada serão prejudicados, pelo contrário, serão honrados com o que lhes é de direito. A discussão nos tribunais é somente fática, probatória. Os amigos e documentos vão deixar claro que eles viviam como um casal, sendo ela considerada companheira, viúva e herdeira.

Deixe um comentário

Atenção! Os comentários do portal Estrelando são via Facebook, lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook.

Enquete

O que você achou da visita de Ryan Reynolds e Hugh Jackman no Brasil?

Obrigado! Seu voto foi enviado.

Antônia Fontenelle toma as dores da mãe dos filhos de Gugu Liberato, entenda!

Antônia Fontenelle toma as dores da mãe dos filhos de Gugu Liberato, entenda!

23/Jul/

Parece que a história de herança de Gugu Liberato não vai chegar nunca ao fim! Agora até mesmo Antônia Fontenelle que já viveu o mesmo dilema e história em seu passado, tomou as dores da viúva de Gugu e decidiu falar sobre o assunto. Lembrando que a loira também foi parar na Justiça por conta da herança de seu falecido marido, Marcos Paulo.

Isso é inacreditável. Eu espero que seja um ledo engano e que não esteja acontecendo. Do contrário, que país é esse? A Rose não precisa ir a lugar nenhum para dizer que tem direito, sim, a parte da herança do Gugu. Ela foi esposa dele por duas décadas, é mãe dos três filhos dele. Ter de brigar com irmãos e sobrinhos? Eles não têm direito a nada. De onde tiraram isso? A Rose é mãe dos filhos dele, é uma coisa pública e notória.

Ainda em seu desabafo nas redes sociais, Fontenelle comenta que acredita que Rose não vá em lugar algum e muito menos em programas televisivos ou jornais para expor ainda mais a situação.

Gugu não merece passar por isso. A Rose deu ao Gugu o que ele mais queria: uma família. E ele se dedicou a essa família. Eu fico sem palavras!

Mas não é só isso. Como você viu aqui no ESTRELANDO, Rose Miriam, mãe dos três filhos de do apresentador que morreu em novembro, acionou nesta sexta-feira, dia 20, a Justiça para ter direito aos bens deixados pelo apresentador. E neste mesmo dia, o advogado Nelson Wilians, da ex-companheira do apresentador, acabou pontuando algumas partes importantes sobre todo esse processo da vinda da viúva para o Brasil.

Não é verdade que Rose Miriam Souza Di Matteo veio ao Brasil sem o conhecimento dos filhos. Isso é para difamar a imagem da viúva perante à opinião pública. Uma pessoa que se encontra fragilizada por tudo o que aconteceu nas últimas semanas. Vale lembrar que seu marido e companheiro de quase duas décadas praticamente morreu em seus braços e na frente dos filhos.

O que mais chama a atenção de todos nesta história nem é o fato de Rose estar no Brasil, e sim dela ser forçada a assinar alguns documentos por alguns advogados, e Nelson Wilians esclarece os pontos.

Rose foi assediada e constrangida ainda no dia do enterro de Gugu. Seu luto não foi respeitado. Poucas horas após o enterro ela foi forçada a assinar documentos pelo advogado da família de Gugu. No dia 18 deste mês, ela registrou um Boletim de Ocorrência contra o advogado. 

Além disso, o advogado ainda deixou claro alguns pontos sobre a união estável do casal.

Rose tem o apoio de sua família para ser reconhecida como esposa e companheira de Gugu. Rose quer ser reconhecida por sua união estável, que é a realidade e a verdade: com Gugu vivo, ela era a companheira/esposa dele; com Gugu falecido, é a viúva e herdeira. A expectativa é de que seja reconhecido esse direito rapidamente pela Justiça. A união estável entre o casal é clara, não paira nenhuma dúvida. Fato notório. Quem quer colocar dúvida é porque tem interesses escusos. Os requisitos para a união estável são: relacionamento público, contínuo, duradouro, com intenção de estabelecer família. Tudo caracterizado no relacionamento deles. Gugu era o único provedor de sua família. Vale ressaltar que, no momento em que conseguir o reconhecimento da união estável, que é caracterizada quando as partes têm o propósito de constituir família, Rose se comprometeu a doar os bens móveis e imóveis aos filhos, reservando para ela somente o usufruto suficiente para sua mantença [sustento]. Isso foi expresso por meio de Declaração em Cartório de Registro Público. Os filhos dela em nada serão prejudicados, pelo contrário, serão honrados com o que lhes é de direito. A discussão nos tribunais é somente fática, probatória. Os amigos e documentos vão deixar claro que eles viviam como um casal, sendo ela considerada companheira, viúva e herdeira.