X

NOTÍCIAS

Publicada em 28/10/2021 às 12:57 | Atualizada em 28/10/2021 às 12:57

Adam Brody, astro de The O.C., revela por que reboot da série não daria certo: Estamos em um lugar diferente

O ator interpretou o icônico Seth Cohen de 2003 a 2007

Da Redação

Divulgação

Welcome to the O.C, bitches! Os fãs de carteirinha de The O.C: Um Estranho no Paraíso vão se lembrar desta frase e sentir uma baita nostalgia, não é mesmo? A série fez bastante sucesso entre 2003 e 2007 e mostrava a vida de um grupo de adolescentes que viviam em Orange County, uma das regiões mais ricas da Califórnia. Para a alegria dos fanáticos, recentemente, rolou uma reuniãozinha do elenco em que Rachel Bilson e Melinda Clarke, intérpretes de Summer e Julie Cooper, receberam Adam Brody, o icônico Seth Cohen. No podcast, o trio relembrou momentos do passado e Brody entregou se um reboot da série daria certo.

- Eu não acho que isso possa ser feito. Porque eu sinto que, socialmente, estamos em um lugar diferente. E acho que estamos em um estado mais consciente, disse.

E não parou por aí! O eterno Seth Cohen ainda comentou sobre as críticas sociais que a atração abordava.

- Eu sinto que The O.C., enquanto afirma ser um senso semelhante à Gossip Girl, enquanto meio que afirma que é uma crítica [sobre privilégio], não é. É uma celebração. É uma celebração de privilégio e riqueza, na minha opinião. Há pessoas que amam e cuidam uma das outras e se sacrificam umas pelas outras. Portanto, não é uma pura celebração do dinheiro. É uma celebração do amor, do romance e de estar no colegial. Não é só isso. Mas acho que meu ponto é como, para mim, em uma América pós-Donald Trump, pensar: Vamos para Orange County! Sinto que você tem que ter uma verdadeira consideração política e social [na atração]. E é isso que as pessoas querem ver com este programa? Eu não sei. E há uma maneira de fazer as duas coisas? Quero dizer, suponho que sim, mas aos meus olhos, provavelmente eu gostaria de incendiá-lo mais do que, como, por exemplo, os fãs gostariam. Portanto, não sei quem ficaria feliz, finalizou.

Deixe um comentário

Atenção! Os comentários do portal Estrelando são via Facebook, lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook.

Enquete

Qual notícia mais te surpreendeu nos últimos dias?

Obrigado! Seu voto foi enviado.

Adam Brody, astro de <I>The O.C.</i>, revela por que <i>reboot</i> da série não daria certo: <I>Estamos em um lugar diferente</i>

Adam Brody, astro de The O.C., revela por que reboot da série não daria certo: Estamos em um lugar diferente

27/Fev/

Welcome to the O.C, bitches! Os fãs de carteirinha de The O.C: Um Estranho no Paraíso vão se lembrar desta frase e sentir uma baita nostalgia, não é mesmo? A série fez bastante sucesso entre 2003 e 2007 e mostrava a vida de um grupo de adolescentes que viviam em Orange County, uma das regiões mais ricas da Califórnia. Para a alegria dos fanáticos, recentemente, rolou uma reuniãozinha do elenco em que Rachel Bilson e Melinda Clarke, intérpretes de Summer e Julie Cooper, receberam Adam Brody, o icônico Seth Cohen. No podcast, o trio relembrou momentos do passado e Brody entregou se um reboot da série daria certo.

- Eu não acho que isso possa ser feito. Porque eu sinto que, socialmente, estamos em um lugar diferente. E acho que estamos em um estado mais consciente, disse.

E não parou por aí! O eterno Seth Cohen ainda comentou sobre as críticas sociais que a atração abordava.

- Eu sinto que The O.C., enquanto afirma ser um senso semelhante à Gossip Girl, enquanto meio que afirma que é uma crítica [sobre privilégio], não é. É uma celebração. É uma celebração de privilégio e riqueza, na minha opinião. Há pessoas que amam e cuidam uma das outras e se sacrificam umas pelas outras. Portanto, não é uma pura celebração do dinheiro. É uma celebração do amor, do romance e de estar no colegial. Não é só isso. Mas acho que meu ponto é como, para mim, em uma América pós-Donald Trump, pensar: Vamos para Orange County! Sinto que você tem que ter uma verdadeira consideração política e social [na atração]. E é isso que as pessoas querem ver com este programa? Eu não sei. E há uma maneira de fazer as duas coisas? Quero dizer, suponho que sim, mas aos meus olhos, provavelmente eu gostaria de incendiá-lo mais do que, como, por exemplo, os fãs gostariam. Portanto, não sei quem ficaria feliz, finalizou.