X

NOTÍCIAS

Publicada em 14/11/2022 às 15:43 | Atualizada em 14/11/2022 às 15:44

Fátima Bernardes rebate rumores de aposentadoria: -Vão ter que me aguentar na televisão até eu morrer

Apresentadora de 60 anos de idade falou sobre sua trajetória até o The Voice Brasil e diz que a idade não a define

Da Redação

TV Globo

É ela! Fátima Bernardes tem sido o assunto do momento desde que surpreendeu toda a internet ao anunciar que vai apresentar o The Voice Brasil na próxima edição do reality, que terá início na próxima terça-feira, dia 15. 

A idealizadora do Encontro, em entrevista para a TV Globo, disse que o motivo por trás de sua passagem entre programas é um novo momento.

- Eu achei muita sintonia o Encontro ter estreado no mesmo ano do The Voice; os dois são de 2012. E estar em um período de renovação que, para mim, era super importante, e para o The Voice, também. É momento de iniciar uma nova década. E é impressionante como o programa, mesmo depois de dez edições, tem frescor, continuamos vendo muita gente talentosa chegando. Isso impressiona muito, porque a gente imagina que todo mundo que canta bem nesse país já se inscreveu. Mas sempre tem muita gente maravilhosa inscrita, e com histórias incríveis. 

A apresentadora também foi entrevistada pela Folha de São Paulo, onde falou sobre o processo de transição entre programas de televisão. Ao falar sobre ter saído do Encontro para se aventurar como apresentadora de programas de audiência, ela responde que buscava também perder o conforto.

- Sou inquieta. Foi mais difícil e demorado sair do Jornal Nacional, porque não me imaginava fora do jornalismo. Criei o Encontro em busca do entretenimento, mas ele tinha um pé no jornalismo. Agora, queria perder completamente o conforto do jornalismo.

A respeito aos rumores de que a ex-esposa de William Bonner iria se aposentar ou sair da emissora do plim-plim, ela nega sem pensar duas vezes.

- É mentira. As pessoas vão ter que me aguentar na televisão até eu morrer, porque trabalho com algo que escolhi trabalhar, o que é um privilégio. Trabalho num lugar que me permite mudar e me transformar. Nunca pensei em sair da Globo.

A jornalista também falou sobre o que o câncer de útero que enfrentou em 2020 a ensinou.

- Ter tido um câncer, entender que a vida passa muito rápido, ter dois filhos morando fora e o namorado transitando entre três cidades me fez acelerar essa transição integral para o entretenimento. Manifestei esse desejo, e o convite para o The Voice caiu como uma luva. Ainda não voltei a dançar, não estou com os médicos em dia, mas já tenho muito mais disponibilidade.

Chegando aos 60 anos de idade a todo vapor, ela comenta sobre o processo de envelhecer.

- Envelhecer não é fácil. Nem democrático, porque a maioria das pessoas não tem a mesma condição que eu tenho de me cuidar. Tenho muitas possibilidades, mas tenho um olhar mais natural para o envelhecimento. Faço meu botox, mas nada mais agressivo, como plástica ou preenchimento. Não sou contra, mas não sinto essa necessidade. Pelo menos não por enquanto. Mas minha idade não me define. Eu tenho várias idades. Tem dias que estou mais leve e mais jovem, e outros que estou mais para baixo e mais velha.

Deixe um comentário

Atenção! Os comentários do portal Estrelando são via Facebook, lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook.

Enquete

Você acha que Davi merece ganhar o BBB24?

Obrigado! Seu voto foi enviado.

Fátima Bernardes rebate rumores de aposentadoria: -<i>Vão ter que me aguentar na televisão até eu morrer</i>

Fátima Bernardes rebate rumores de aposentadoria: -Vão ter que me aguentar na televisão até eu morrer

15/Abr/

É ela! Fátima Bernardes tem sido o assunto do momento desde que surpreendeu toda a internet ao anunciar que vai apresentar o The Voice Brasil na próxima edição do reality, que terá início na próxima terça-feira, dia 15. 

A idealizadora do Encontro, em entrevista para a TV Globo, disse que o motivo por trás de sua passagem entre programas é um novo momento.

- Eu achei muita sintonia o Encontro ter estreado no mesmo ano do The Voice; os dois são de 2012. E estar em um período de renovação que, para mim, era super importante, e para o The Voice, também. É momento de iniciar uma nova década. E é impressionante como o programa, mesmo depois de dez edições, tem frescor, continuamos vendo muita gente talentosa chegando. Isso impressiona muito, porque a gente imagina que todo mundo que canta bem nesse país já se inscreveu. Mas sempre tem muita gente maravilhosa inscrita, e com histórias incríveis. 

A apresentadora também foi entrevistada pela Folha de São Paulo, onde falou sobre o processo de transição entre programas de televisão. Ao falar sobre ter saído do Encontro para se aventurar como apresentadora de programas de audiência, ela responde que buscava também perder o conforto.

- Sou inquieta. Foi mais difícil e demorado sair do Jornal Nacional, porque não me imaginava fora do jornalismo. Criei o Encontro em busca do entretenimento, mas ele tinha um pé no jornalismo. Agora, queria perder completamente o conforto do jornalismo.

A respeito aos rumores de que a ex-esposa de William Bonner iria se aposentar ou sair da emissora do plim-plim, ela nega sem pensar duas vezes.

- É mentira. As pessoas vão ter que me aguentar na televisão até eu morrer, porque trabalho com algo que escolhi trabalhar, o que é um privilégio. Trabalho num lugar que me permite mudar e me transformar. Nunca pensei em sair da Globo.

A jornalista também falou sobre o que o câncer de útero que enfrentou em 2020 a ensinou.

- Ter tido um câncer, entender que a vida passa muito rápido, ter dois filhos morando fora e o namorado transitando entre três cidades me fez acelerar essa transição integral para o entretenimento. Manifestei esse desejo, e o convite para o The Voice caiu como uma luva. Ainda não voltei a dançar, não estou com os médicos em dia, mas já tenho muito mais disponibilidade.

Chegando aos 60 anos de idade a todo vapor, ela comenta sobre o processo de envelhecer.

- Envelhecer não é fácil. Nem democrático, porque a maioria das pessoas não tem a mesma condição que eu tenho de me cuidar. Tenho muitas possibilidades, mas tenho um olhar mais natural para o envelhecimento. Faço meu botox, mas nada mais agressivo, como plástica ou preenchimento. Não sou contra, mas não sinto essa necessidade. Pelo menos não por enquanto. Mas minha idade não me define. Eu tenho várias idades. Tem dias que estou mais leve e mais jovem, e outros que estou mais para baixo e mais velha.