X

NOTÍCIAS

Publicada em 04/12/2020 às 16:30 | Atualizada em 04/12/2020 às 16:36

Na CCXP, Neil Gaiman dá detalhes sobre a série de Sandman e declara seu amor ao Brasil: - Tem sido muito frustrante não conseguir voltar ainda

O escritor ainda falou que hoje vê mais meninas fãs de quadrinhos: - Quando eu comecei a dar autógrafos, todo mundo tinha um pênis

Luiza Aloi

Divulgação

E começou mais uma CCXP! O evento anual que traz grandes nomes do cinema, televisão e quadrinhos, teve que mudar um pouco o esquema por conta da pandemia do coronavírus e está acontecendo de forma totalmente online. Mesmo assim, a magia não se perde e podemos ver pessoas como Neil Gaiman frente a frente - mesmo de forma virtual!

Pois é, o autor de diversas histórias em quadrinhos e livros mundialmente conhecidos é o convidado de honra do evento! E na tarde dessa sexta-feira, dia 4, ele deu detalhes sobre a série de Sandman, declarou o seu amor pelo Brasil e demonstrou ser gente como a gente, já que em plena pandemia, ele aprendeu a fazer pão!

- Eu queria estar realmente lá e me divertindo muito no Brasil, começou dizendo.

Sandman é, sem dúvidas, um dos quadrinhos mais famosos de Neil Gaiman. E o autor sempre fica muito surpreso ao saber que os brasileiros adoram a história:

- Eu fiquei muito impressionado e animado na época [do lançamento]. E por algum motivo que eu não entendia, eles amaram no Brasil. Foi mágico.

E ele comentou algo curioso: ele percebeu, ao longo dos anos, que mais mulheres estavam lendo Sandman. Com isso, brincou:

- Mulheres gostam bastante de quadrinhos, principalmente Sandman. É definitivamente verdade. Quando eu comecei a dar autógrafos, todo mundo tinha um pênis. Em lojas de quadrinhos todas as pessoas tinham um pênis. Mas agora eu vejo que está bem equilibrado, meninos e meninas, disse, acrescentando que muitos namorados apresentam Sandman para as namoradas, mas quando o relacionamento acaba, são elas que ficam com a obra!

A série Sandman

Por ser uma história longa, Sandman demorou anos para ganhar uma adaptação, seja para o cinema ou para a televisão. Ao dar mais detalhes sobre, Neil começou dizendo o seguinte:

- O problema com Sandman era que Sandman tem três mil páginas. Como escolher o que vai no filme, o que você vai deixar de lado, qual vai ser o público? (...) O que você deixa de fora?

A espera foi longa, mas chegou ao fim, já que a história finalmente vai ganhar a sua versão como série na Netflix, e está prevista para estrear sua primeira temporada em 2021. Com isso, ele explicou sua decisão em aceitar o serviço de streaming como o responsável por seu famoso trabalho:

- A Netflix foi a mais persuasiva, porque eles estavam dispostos a se comprometer ao máximo. Era a minha visão, era o quadrinho, era como o quadrinho seria, agora, como programa de TV. Eu fico de queixo caído, é muito poderoso ver as imagens que eu primeiro vi desenhadas 33 anos atrás se mexendo na minha tela, ali.

Além disso, Neil explicou que não teve problemas com o orçamento mas que, por conta do coronavírus, ele teve que cortar dois episódios, já que o custo de tornar o set mais seguro, além de fornecer milhares de testes, seria bem alto. 

E já que o assunto foi para o coronavírus, o escritor, bem gente como a gente, adquiriu uma nova habilidade na pandemia: a de padeiro! Bem-humorado, ele revelou que aprendeu a fazer pão, mesmo que suas primeiras tentativas tenham dado errado - fazendo com que ele quase quebrasse uma faca, de tão duro que ficou o pão! Bom, ainda bem que Neil não precisa viver disso, não é mesmo?

American Gods

A terceira temporada de American Gods está prevista para estrear em 11 de janeiro de 2021 no Amazon Prime Video! O serviço de streaming, inclusive, divulgou algumas imagens inéditas da produção e Neil comentou algumas novidades, para atiçar os fãs sobre o que eles podem esperar dos novos episódios:

- Tem mais coisas do livro. É [uma temporada] maravilhosa. Vamos saber mais sobre os novos deuses, vocês vão conhecer mais aspectos do mundo e dos novos deuses.

Assista ao trailer aqui:


Amor pelo Brasil

Por fim, como não poderia deixar de ser, Neil relembrou ótimos momentos de quando esteve no Brasil e contou um episódio curioso: de quando ele ficou sem voz e quase incitou uma rebelião em São Paulo:

- Eu sei que eu amo o Brasil, eu sei que o Brasil já me amava antes de ter certeza absoluta do que o brasil era, porque lá no comecinho do Sandmand, o Sandman foi tão importante. A primeira vez que eu fui para o Brasil, sei lá, em 98, eu acho que foi... havia um pessoal me esperando, eu fui bem recebido. Eu conheci pessoas e retornei em 2002 e aí fui a o festival de livros no Rio de Janeiro onde eu comecei a perder a minha voz, ou seja, quando cheguei em São Paulo, eu estava praticamente sem voz.

Em São Paulo, ele foi à extinta livraria Fnac para assinar cópias de Sandman de fãs, porém tinham 15 mil pessoas esperando por ele! Quando o evento limitou o acesso para apenas 700 pessoas, Neil ouviu xingamentos:

- Eles estavam falando algo terrível, mas diziam com tanto amor, que todo mundo ama o brasileiro por isso. Eles explicaram que se a fila fosse determinada, eu não poderia autografar e eles iriam destruir a Fnac, fazer uma rebelião, disse, com bom humor.

Por fim, fez uma declaração:

- Eu amo o Brasil, eu amo o pessoal, amo o país. Tem sido muito frustrante pra mim nessa última década que eu não consegui voltar ainda.

Fofo, né?

Logo abaixo, veja 21 adaptações de livros para o cinema!


As Vantagens de ser Invisível é outra adaptação que conta com um elenco estrelado: Emma Watson, Logan Lerman e Nina Dobrev. Mas tudo começou com o livro de Stephen Chbosky. Tanto filme como livro tratam de assuntos tocantes e falam sobre as dificuldades em amadurecer.

Deixe um comentário

Atenção! Os comentários do portal Estrelando são via Facebook, lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook.

Enquete

Qual notícia mais te chocou esta semana?

Obrigado! Seu voto foi enviado.