X

NOTÍCIAS

Publicada em 17/08/2021 às 17:10 | Atualizada em 17/08/2021 às 17:21

Marcos Fiel abre o jogo sobre uso de drogas na televisão e revela: - Tive muita relação sexual vestido de Bozo

O artista foi intérprete do palhaço entre os anos de 1983 e 1986

Da Redação

Divulgação

Marcos Fiel, intérprete do famoso palhaço Bozo no início dos anos 80, deu uma entrevista reveladora para o canal de Lisa Gomes no Youtube. Em conversa, o artista conta que seu período na televisão foi marcado por drogas e muito descontrole emocional, e que chegou a se internar para resolver suas questões. 

- Quando entrei pra fazer o Bozo eu já fazia o consumo de maconha e bebida. Dentro da televisão que eu vim conhecer o mundo da cocaína. Usava pouco para dar o que chamam de barato, apresentava e os maquiadores ficavam até com raiva porque tinham que maquiar novamente porque o nariz escorria.

Ele revela que muitas vezes teve a companhia de Arlindo Barroso, também intérprete do palhaço. 

- Todo mundo sabe, ele mesmo confessa, que fazia muito uso, nós chegamos a usar muitas vezes juntos. Já o Luiz Ricardo nunca soube de nada.

Marcos conta que usava o sexo como aliado e que chegou a ter relações sexuais com mães de crianças que o assistiam. Ele relembra o caso de uma empresária:

- Meu sonho, meu desejo era ter relações com você vestido de Bozo. E eu tive. Fui para um estado e teve uma secretária de uma empresária que pediu para ficar mais dois dias e eu consegui a folga na TV e eles me deixaram mais dois dias, e com certeza eu tive muita relação vestido de Bozo com essa mulher. Achei meio estranho, mas ela era louca pelo personagem, depois não me senti bem, em respeito ao personagem.

Ele estava chegando no fundo do poço, e já usava todo o dinheiro que ganhava com suas composições para comprar substâncias ilícitas. 

- Tudo que eu ganhava no Patati Patatá eu jogava nas drogas. Rinaldi [Dono da marca Patati Patatá] tentou me ajudar, me internou na clínica, mas eu fugi, fiquei 40 dias limpo. Entrei no crack, uma droga pior do que todas, fiquei com 51 quilos e usava 40 pedras por dia. Ficava cinco dias virado e não voltava para casa, cheguei a morar dentro de um barraco na favela. As pessoas estavam me fazendo de avião e chegou uma hora que eu disse: Não é isso que eu quero.

Há nove anos sóbrio, ele conta como conseguiu superar o vício:

- Me internei uma vez só, de livre e espontânea vontade. Fui para uma clínica, em 12 dias que passei lá, fiquei 8 trancado como animal, tomando um monte de remédios, tendo que dizer amém, muitas dores no corpo. Fugi da clínica. Hoje sou cristão, tive um encontro muito sério com Deus, hoje sou liberto.


A seguir, relembre os famosos que já abriram o jogo sobre a dependência química


Em 2014, ao The Hollywood Reporter, Zac Efron relembrou a época de vícios: - Eu estava bebendo muito. Nunca é uma coisa em específico. Quer dizer, você está em seus 20 e poucos anos, solteiro, vivendo a vida em Hollywood, sabe? Tudo é jogado em cima de você. É uma luta sem fim, mas eu acabei de começar a ir a um aconselhamento. E eu acho que mudou a minha vida. Estou muito mais confortável em minha própria pele. As coisas estão muito mais fáceis agora.

Deixe um comentário

Atenção! Os comentários do portal Estrelando são via Facebook, lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook.

Enquete

O que você achou de Marco Pigossi assumindo o relacionamento com um diretor italiano?

Obrigado! Seu voto foi enviado.