X

NOTÍCIAS

Publicada em 24/05/2024 às 00:00 | Atualizada em 23/05/2024 às 15:02

Já imaginou ser a cobaia do Laboratório de Hawkins da Stranger Things: The Experiêncie? Repórter do ESTRELANDO viveu experiência e te conta detalhes

E, de quebra, descobriu (e experimentou) o cardápio de comidinhas da cidade!

Letícia Giollo

Montagem-Letícia Giollo

Com pouco mais de 30 mil habitantes, Hawkins poderia ser apenas uma cidadezinha pacata do estado de Indiana, nos Estados Unidos, se não fosse pela existência do Laboratório Nacional. A instalação é conhecida por realizar estudos para melhorar a qualidade de vida dos moradores locais, mas, na verdade, é uma mera fachada para o verdadeiro interesse de Dr. Martin Brenner: o Mundo Invertido. O território é o portal da outra dimensão, lugar sinistro que hospeda criaturas malignas, como Demogorgon e Vecna, o diabo em pessoa. Nos anos 1980, Brenner então descobriu que Hawkins abrigava muito mais do que grandes campos agrícolas, já que também era o lar de crianças especiais, capazes de controlarem - com super-poderes - as criaturas do tal Mundo Invertido. E, claro, não pensou duas vezes em usá-las como cobaias em seu laboratório. De cabeças raspadas, usando apenas aventais de hospitais e identificadas com números de um a onze, elas eram testadas diariamente… até que uma cobaia se destacou por ser a mais poderosa. Já deve saber de quem estou falando, né? Afinal acabei de descrever o enredo de Stranger Things.

Mas o que você diria se eu contasse que também virei uma cobaia do Laboratório Nacional de Hawkins? Pode parecer loucura, mas é verdade! Euzinha, uma mera jornalista que aqui vos escreve, foi transportada para Hawkins e passou pelos mesmíssimos testes que Eleven foi submetida na Sala Arco-Íris. De quebra, descobri que tenho o poder de Intuição, recebi a missão de fechar o portal e ainda lutei contra o Vecna. Sim, meu amigo, foi um dia bem agitado para uma jornalista que está acostumada a passar o dia em frente ao computador escrevendo notícias sobre celebridades. E sabe como fui parar nessa aventura, me transformando na heroína da história mais famosa da Netflix? Através da Stranger Things: The Experience, que não parece com nenhuma outra exposição, já que explora os cinco sentidos humanos: visão, audição, paladar, olfato e tato.

Como uma boa fã da série, esta jornalista aqui chegou na Stranger Things: The Experience com os fones de ouvido estalando no último volume Running Up The Hills, tal qual Max faz na quarta temporada para fugir de Vecna. (Só me prevenindo, né? Não custa nada [risos]!) Ao passar pela porta, fui transportada para a nostalgia dos 1980 ao perceber que estava na Family Video, a locadora de vídeos que Steve e Robin trabalham na história. Com uma estante repleta de VHS (bons tempos!) era possível ver títulos conhecidos, como De Volta Para o Futuro, Clube dos Cinco, Carrie, Indiana Jones e Caça-Fantasmas. Bem em frente à estante, a nostalgia aumentava com a vitrine do caixa recheada de doces típicos da época - os mesmo em que Mike, Will, Lucas, Dustin, Max e Eleven aparecem comendo. Assim que avistei a grande placa de Hawkins, soube que tinha adentrado na história - e abracei a personagem.

Logo de cara, me convidaram para participar do novo estudo do sono no Laboratório de Hawkins. Hmmm, um pouco estranho, né? Mas talvez era algo que os habitantes da cidade estejam acostumados. Achei melhor não contrariar! Assim que colocaram a etiqueta amarela no meu pulso, direcionando-me para a entrada da instituição, não deu outra: eu tinha virado propriedade do Dr. Martin Brenner. A cobaia de nº 021586. E soube que não estava ali para o suposto estudo do sono. As cores azuis acinzentadas, as portas pesadas, a vibe industrial e a luz branca fluorescente traziam ainda mais realismo ao cenário. Eu estava dentro do seriado! Até mesmo o cheiro exalava produtos químicos e metal.

Para a minha surpresa, no meio de tantas outras cobaias, euzinha fui escolhida para aparecer no telão, e então meu diagnóstico foi revelado: tenho poderes de INTUIÇÃO! Automaticamente, fui levada para a temida Sala Arco-Íris e ali submetida a alguns testes. Diante de uma mesa de metal, olhando para o ambiente colorido e ouvindo os berros de minha tutora, precisei colocar a mão na massa e montar uma espécie de quebra-cabeça, mover objetos com o pensamento, congelar o tempo, fazer coisas aparecerem… Uma verdadeira loucura! Até mesmo amassei latinhas de Coca-Cola Diet com o poder da mente, tal qual Eleven fez em seu teste na série. Foi aí que o Dr. Brenner apareceu, com aquele olhar de quem tinha descoberto uma mina de ouro, e mandou esta jornalista - e o resto do grupo - para a sala de Testes de Estresse.

No meio do caminho, enquanto andávamos enfileirados pelos corredores gelados, ouvimos vozes pelos túneis de ventilação e, assim que chegamos na outra sala, Mike, Dustin, Lucas, Will e Erica apareceram nas telas dos computadores avisando o que eu já desconfiava: estavámos em perigo e tínhamos que dar o fora daquele laboratório o quanto antes. Seguindo os comandos do quinteto, pegamos os bancos que estavam espalhados para bloquearmos a porta, desconectamos cabos de segurança, conversamos com Eleven e usamos os poderes telecinéticos para escaparmos dos terríveis Demogorgons, que insistiam em invadir a sala, se jogando contra a porta, chegando até mesmo a trincarem o vidro. A sensação era de estar presa em uma jaula e a adrenalina aumentava a cada momento. Tudo é realista demais, afinal, a Stranger Things: The Experience brinca com os sentidos humanos. Você toca, ouve, experimenta e enxerga muito além do que o esperado.

Quando tudo parecia estar perdido, nós, as cobaias, nos juntamos e, orientadas por Eleven, usamos nossos super-poderes - coloquei os dedos na têmpora e canalizei toda a minha intuição. KABUMMMM! A parede se rasgou bem diante dos meus olhos e o portal para o Mundo Invertido se abriu. Brilhante, vermelho e enorme. Atravessar o meu corpo para a outra dimensão foi - sem sombras de dúvidas - a parte mais incrível de toda a experiência. Me apertar no meio das entranhas e ficar imersa por alguns segundos naquele mini labirinto faz com que você realmente se sinta a heroína da história prestes a salvar a cidade.

O Mundo Invertido é uma atração à parte. Com a ajuda dos óculos 3D e a alta tecnologia, eu era a protagonista da cena quando lutei contra o Vecna em pessoa no meio da floresta escura. Se Hollywood quiser me escalar para a próxima temporada de Stranger Things, estou mais do que pronta [risos].

E claro, depois de salvar Hawkins, nada como recuperar as energias no Mix Tape, que parece demais com a praça de alimentação do Shopping Starcourt. O lugar é um verdadeiro parque de diversão para os fãs da série. O motivo? Ali é possível experimentar os quitutes da famosa sorveteria Scoops Ahoy, local de trabalho de Steve e Robin na terceira temporada; se deliciar com uma fatia de pizza da Surfer Boy Pizza, em que Argylle, amigo de Jonathan Byers, é funcionário; tomar drinks diferentões no bar The Upside; desafiar o amigo no Arcade e, de quebra, visitar a antiga sala de estar de Joyce Byers - as luzes de Natal ainda seguem lá.

Morrendo de sede após derrotar Vecna, sem pensar muito, parti para o bar The Upside. Com as luzes neon piscando forte e Should I Stay or Should I Go, música de The Clash soando no alto falante, o clima dos anos 1980 era inconfundível, dando aquela sensação gostosa de relembrar momentos felizes do passado, sabe? O cardápio brinca com os nomes tal qual o ambiente brinca com as nossas memórias. Todos os drinks receberam nomes criativos que fazem referência à série: Demogorgon, The Upside Down, Eleven, Starcourt Special, The Mall Rat, Suzie Poo... Pedi a Friends Don’t Lie (Amigos Não Mentem, na tradução para o português, frase que Eleven sempre diz), bebida composta por tequila, suco de laranja, refrigerante citrus, grenadine, laranja e cereja. Uma verdadeira explosão de sabores na boca e um colírio para os olhos. O líquido vermelho veio no belo copo transparente da Stranger Things: The Experience (que pude levar para casa depois), com uma cereja e um pedacinho de waffle no palito, petisco favorito da personagem de Millie Bobby Brown. Bem temático! Há também opções sem álcool, como a Starcount Special, com refrigerante citrus, xarope de maçã verde, xarope de caramelo salgado e (pasmem!) bala Fini Tube. Nem precisa dizer que logo no primeiro gole fui direcionada para memórias da minha infância, né? O sabor é extremamente doce, a ponto de parecer que você está realmente comendo a tal bala. Surreal a magia que Hawkins consegue fazer!

Para harmonizar com a bebida, dei aquela passadinha na Surfer Boy Pizza, que tem o formato da van de Argyle, para pedir um pedaço grande do sabor de pepperoni. Quentinha, suculenta e saborosa, do jeitinho que imaginava quando via Argyle mordendo um pedaço nos episódios. E os sabores são vários: pepperoni, mussarela, vegetariana, marguerita, shitake com alho poró… Por sinal, as receitas são originais. A pipoca, por exemplo, é preparada na máquina que veio dos Estados Unidos para que o sabor seja o mesmo em todos os países. O que me leva à etapa final da minha maratona de degustações: Scoops Ahoy. A famosa sorveteria é a atração principal da praça de alimentação, afinal, é ali que está o tão concorrido sanduíche de waffle com sorvete, a sobremesa favorita de Eleven. A fila de espera (a maior de todas ali) só aumentava ainda mais a expectativa - e posso afirmar que valeu a pena demais, já que o sanduíche de waffle é a estrela do cardápio. Dois waffles quentinhos e macios, recheados com uma bola de sorvete do sabor de sua escolha, a minha foi de cookies and cream, e uma generosa camada de creme de avelã. Pensa que acabou? Nananinanão. Ainda tinha calda de chocolate por cima e granulados. Juro! Fico com vontade de experimentar aquela iguaria só de lembrar. Após a primeira mordida, você vai logo entender o motivo pelo qual Eleven gosta tanto da tal sobremesa. Não é à toa, viu.

A exposição já viajou por diversas cidades do mundo, como Los Angeles, Nova York, Londres, Paris, Toronto, e, agora, abre as portas para o público brasileiro no Shopping Eldorado, em São Paulo. Trazida pela Blast Entertainment, Netflix e Fever, a experiência imersiva, ocupa mais de dois mil metros quadrados do estacionamento do shopping (é muito grande!) e, segundo o que a assessora de imprensa da exposição contou durante nosso bate-papo descontraído no Upside Bar enquanto tomávamos drinks típicos de Hawkins e saboreávamos um delicioso waffle com sorvete da Scoops Ahoy, são as mesmas instalações e cenários apresentados nos Estados Unidos - por isso quase todas as descrições dos ambientes são em inglês, sendo mais de 500 toneladas de materiais cenográficos que foram transportados em 30 contêineres que chegaram ao país via porto de Santos. Sem contar que os atores gravaram diálogos e cenas exclusivas para a exposição. A alta tecnologia juntamente com o tom ultra realista dos efeitos visuais fazem com que você sinta que está mesmo conversando com Mike, Will, Lucas, Dustin, Max e Eleven. Sempre teve a curiosidade de saber como é ser um cidadão de Hawkins? Agora você pode!

A seguir, confira o cardápio completo da atração e se delicie com as comidinhas originais da série:

Veja também como é por dentro da Stranger Things: The Experience:


Deixe um comentário

Atenção! Os comentários do portal Estrelando são via Facebook, lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook.

Enquete

O que você achou da visita de Ryan Reynolds e Hugh Jackman no Brasil?

Obrigado! Seu voto foi enviado.

Já imaginou ser a cobaia do Laboratório de Hawkins da <I>Stranger Things: The Experiêncie</i>? Repórter do <I><B>ESTRELANDO</I></B> viveu experiência e te conta detalhes

Já imaginou ser a cobaia do Laboratório de Hawkins da Stranger Things: The Experiêncie? Repórter do ESTRELANDO viveu experiência e te conta detalhes

20/Jul/

Com pouco mais de 30 mil habitantes, Hawkins poderia ser apenas uma cidadezinha pacata do estado de Indiana, nos Estados Unidos, se não fosse pela existência do Laboratório Nacional. A instalação é conhecida por realizar estudos para melhorar a qualidade de vida dos moradores locais, mas, na verdade, é uma mera fachada para o verdadeiro interesse de Dr. Martin Brenner: o Mundo Invertido. O território é o portal da outra dimensão, lugar sinistro que hospeda criaturas malignas, como Demogorgon e Vecna, o diabo em pessoa. Nos anos 1980, Brenner então descobriu que Hawkins abrigava muito mais do que grandes campos agrícolas, já que também era o lar de crianças especiais, capazes de controlarem - com super-poderes - as criaturas do tal Mundo Invertido. E, claro, não pensou duas vezes em usá-las como cobaias em seu laboratório. De cabeças raspadas, usando apenas aventais de hospitais e identificadas com números de um a onze, elas eram testadas diariamente… até que uma cobaia se destacou por ser a mais poderosa. Já deve saber de quem estou falando, né? Afinal acabei de descrever o enredo de Stranger Things.

Mas o que você diria se eu contasse que também virei uma cobaia do Laboratório Nacional de Hawkins? Pode parecer loucura, mas é verdade! Euzinha, uma mera jornalista que aqui vos escreve, foi transportada para Hawkins e passou pelos mesmíssimos testes que Eleven foi submetida na Sala Arco-Íris. De quebra, descobri que tenho o poder de Intuição, recebi a missão de fechar o portal e ainda lutei contra o Vecna. Sim, meu amigo, foi um dia bem agitado para uma jornalista que está acostumada a passar o dia em frente ao computador escrevendo notícias sobre celebridades. E sabe como fui parar nessa aventura, me transformando na heroína da história mais famosa da Netflix? Através da Stranger Things: The Experience, que não parece com nenhuma outra exposição, já que explora os cinco sentidos humanos: visão, audição, paladar, olfato e tato.

Como uma boa fã da série, esta jornalista aqui chegou na Stranger Things: The Experience com os fones de ouvido estalando no último volume Running Up The Hills, tal qual Max faz na quarta temporada para fugir de Vecna. (Só me prevenindo, né? Não custa nada [risos]!) Ao passar pela porta, fui transportada para a nostalgia dos 1980 ao perceber que estava na Family Video, a locadora de vídeos que Steve e Robin trabalham na história. Com uma estante repleta de VHS (bons tempos!) era possível ver títulos conhecidos, como De Volta Para o Futuro, Clube dos Cinco, Carrie, Indiana Jones e Caça-Fantasmas. Bem em frente à estante, a nostalgia aumentava com a vitrine do caixa recheada de doces típicos da época - os mesmo em que Mike, Will, Lucas, Dustin, Max e Eleven aparecem comendo. Assim que avistei a grande placa de Hawkins, soube que tinha adentrado na história - e abracei a personagem.

Logo de cara, me convidaram para participar do novo estudo do sono no Laboratório de Hawkins. Hmmm, um pouco estranho, né? Mas talvez era algo que os habitantes da cidade estejam acostumados. Achei melhor não contrariar! Assim que colocaram a etiqueta amarela no meu pulso, direcionando-me para a entrada da instituição, não deu outra: eu tinha virado propriedade do Dr. Martin Brenner. A cobaia de nº 021586. E soube que não estava ali para o suposto estudo do sono. As cores azuis acinzentadas, as portas pesadas, a vibe industrial e a luz branca fluorescente traziam ainda mais realismo ao cenário. Eu estava dentro do seriado! Até mesmo o cheiro exalava produtos químicos e metal.

Para a minha surpresa, no meio de tantas outras cobaias, euzinha fui escolhida para aparecer no telão, e então meu diagnóstico foi revelado: tenho poderes de INTUIÇÃO! Automaticamente, fui levada para a temida Sala Arco-Íris e ali submetida a alguns testes. Diante de uma mesa de metal, olhando para o ambiente colorido e ouvindo os berros de minha tutora, precisei colocar a mão na massa e montar uma espécie de quebra-cabeça, mover objetos com o pensamento, congelar o tempo, fazer coisas aparecerem… Uma verdadeira loucura! Até mesmo amassei latinhas de Coca-Cola Diet com o poder da mente, tal qual Eleven fez em seu teste na série. Foi aí que o Dr. Brenner apareceu, com aquele olhar de quem tinha descoberto uma mina de ouro, e mandou esta jornalista - e o resto do grupo - para a sala de Testes de Estresse.

No meio do caminho, enquanto andávamos enfileirados pelos corredores gelados, ouvimos vozes pelos túneis de ventilação e, assim que chegamos na outra sala, Mike, Dustin, Lucas, Will e Erica apareceram nas telas dos computadores avisando o que eu já desconfiava: estavámos em perigo e tínhamos que dar o fora daquele laboratório o quanto antes. Seguindo os comandos do quinteto, pegamos os bancos que estavam espalhados para bloquearmos a porta, desconectamos cabos de segurança, conversamos com Eleven e usamos os poderes telecinéticos para escaparmos dos terríveis Demogorgons, que insistiam em invadir a sala, se jogando contra a porta, chegando até mesmo a trincarem o vidro. A sensação era de estar presa em uma jaula e a adrenalina aumentava a cada momento. Tudo é realista demais, afinal, a Stranger Things: The Experience brinca com os sentidos humanos. Você toca, ouve, experimenta e enxerga muito além do que o esperado.

Quando tudo parecia estar perdido, nós, as cobaias, nos juntamos e, orientadas por Eleven, usamos nossos super-poderes - coloquei os dedos na têmpora e canalizei toda a minha intuição. KABUMMMM! A parede se rasgou bem diante dos meus olhos e o portal para o Mundo Invertido se abriu. Brilhante, vermelho e enorme. Atravessar o meu corpo para a outra dimensão foi - sem sombras de dúvidas - a parte mais incrível de toda a experiência. Me apertar no meio das entranhas e ficar imersa por alguns segundos naquele mini labirinto faz com que você realmente se sinta a heroína da história prestes a salvar a cidade.

O Mundo Invertido é uma atração à parte. Com a ajuda dos óculos 3D e a alta tecnologia, eu era a protagonista da cena quando lutei contra o Vecna em pessoa no meio da floresta escura. Se Hollywood quiser me escalar para a próxima temporada de Stranger Things, estou mais do que pronta [risos].

E claro, depois de salvar Hawkins, nada como recuperar as energias no Mix Tape, que parece demais com a praça de alimentação do Shopping Starcourt. O lugar é um verdadeiro parque de diversão para os fãs da série. O motivo? Ali é possível experimentar os quitutes da famosa sorveteria Scoops Ahoy, local de trabalho de Steve e Robin na terceira temporada; se deliciar com uma fatia de pizza da Surfer Boy Pizza, em que Argylle, amigo de Jonathan Byers, é funcionário; tomar drinks diferentões no bar The Upside; desafiar o amigo no Arcade e, de quebra, visitar a antiga sala de estar de Joyce Byers - as luzes de Natal ainda seguem lá.

Morrendo de sede após derrotar Vecna, sem pensar muito, parti para o bar The Upside. Com as luzes neon piscando forte e Should I Stay or Should I Go, música de The Clash soando no alto falante, o clima dos anos 1980 era inconfundível, dando aquela sensação gostosa de relembrar momentos felizes do passado, sabe? O cardápio brinca com os nomes tal qual o ambiente brinca com as nossas memórias. Todos os drinks receberam nomes criativos que fazem referência à série: Demogorgon, The Upside Down, Eleven, Starcourt Special, The Mall Rat, Suzie Poo... Pedi a Friends Don’t Lie (Amigos Não Mentem, na tradução para o português, frase que Eleven sempre diz), bebida composta por tequila, suco de laranja, refrigerante citrus, grenadine, laranja e cereja. Uma verdadeira explosão de sabores na boca e um colírio para os olhos. O líquido vermelho veio no belo copo transparente da Stranger Things: The Experience (que pude levar para casa depois), com uma cereja e um pedacinho de waffle no palito, petisco favorito da personagem de Millie Bobby Brown. Bem temático! Há também opções sem álcool, como a Starcount Special, com refrigerante citrus, xarope de maçã verde, xarope de caramelo salgado e (pasmem!) bala Fini Tube. Nem precisa dizer que logo no primeiro gole fui direcionada para memórias da minha infância, né? O sabor é extremamente doce, a ponto de parecer que você está realmente comendo a tal bala. Surreal a magia que Hawkins consegue fazer!

Para harmonizar com a bebida, dei aquela passadinha na Surfer Boy Pizza, que tem o formato da van de Argyle, para pedir um pedaço grande do sabor de pepperoni. Quentinha, suculenta e saborosa, do jeitinho que imaginava quando via Argyle mordendo um pedaço nos episódios. E os sabores são vários: pepperoni, mussarela, vegetariana, marguerita, shitake com alho poró… Por sinal, as receitas são originais. A pipoca, por exemplo, é preparada na máquina que veio dos Estados Unidos para que o sabor seja o mesmo em todos os países. O que me leva à etapa final da minha maratona de degustações: Scoops Ahoy. A famosa sorveteria é a atração principal da praça de alimentação, afinal, é ali que está o tão concorrido sanduíche de waffle com sorvete, a sobremesa favorita de Eleven. A fila de espera (a maior de todas ali) só aumentava ainda mais a expectativa - e posso afirmar que valeu a pena demais, já que o sanduíche de waffle é a estrela do cardápio. Dois waffles quentinhos e macios, recheados com uma bola de sorvete do sabor de sua escolha, a minha foi de cookies and cream, e uma generosa camada de creme de avelã. Pensa que acabou? Nananinanão. Ainda tinha calda de chocolate por cima e granulados. Juro! Fico com vontade de experimentar aquela iguaria só de lembrar. Após a primeira mordida, você vai logo entender o motivo pelo qual Eleven gosta tanto da tal sobremesa. Não é à toa, viu.

A exposição já viajou por diversas cidades do mundo, como Los Angeles, Nova York, Londres, Paris, Toronto, e, agora, abre as portas para o público brasileiro no Shopping Eldorado, em São Paulo. Trazida pela Blast Entertainment, Netflix e Fever, a experiência imersiva, ocupa mais de dois mil metros quadrados do estacionamento do shopping (é muito grande!) e, segundo o que a assessora de imprensa da exposição contou durante nosso bate-papo descontraído no Upside Bar enquanto tomávamos drinks típicos de Hawkins e saboreávamos um delicioso waffle com sorvete da Scoops Ahoy, são as mesmas instalações e cenários apresentados nos Estados Unidos - por isso quase todas as descrições dos ambientes são em inglês, sendo mais de 500 toneladas de materiais cenográficos que foram transportados em 30 contêineres que chegaram ao país via porto de Santos. Sem contar que os atores gravaram diálogos e cenas exclusivas para a exposição. A alta tecnologia juntamente com o tom ultra realista dos efeitos visuais fazem com que você sinta que está mesmo conversando com Mike, Will, Lucas, Dustin, Max e Eleven. Sempre teve a curiosidade de saber como é ser um cidadão de Hawkins? Agora você pode!

A seguir, confira o cardápio completo da atração e se delicie com as comidinhas originais da série:

Veja também como é por dentro da Stranger Things: The Experience: