X

NOTÍCIAS

Publicada em 18/08/2020 às 09:40 | Atualizada em 18/08/2020 às 10:03

Marcelo Adnet fala sobre acusações de assédio de Marcius Melhem: - Não sou juiz desse caso para bater o martelo sobre o que aconteceu ou não

Porém, o humorista afirmou que está sempre do lado da vítima

Da Redação

Divulgação-TV Globo

Na última segunda-feira, dia 17, Marcelo Adnet foi o convidado do Roda Viva, programa da TV Cultura. Em determinado momento, ele foi questionado sobre se não estaria defendendo seu amigo, Marcius Melhem, que foi acusado de assédio moral e sexual por atrizes da TV Globo - inclusive por Dani Calabresa, ex de Adnet. A jornalista Vera Magalhães questionou se ele não estaria passando pano para o amigo.

Primeiro, o humorista, que em breve será pai, começou dizendo o seguinte:

- Eu acho o seguinte. Eu acho que existem coisas que realmente a nossa opinião pode soar de maneira leviana. Por que? Eu vou explicar para você. Quando eu falo de fazer um quadro de humor sobre a política brasileira, eu tenho muita clareza sobre o que eu estou consumindo na imprensa, sobre as notícias que nós lemos e aquilo que eu transformo para fazer o meu trabalho. Quando a gente fala de um caso grave eu acho que não é um caso de opinião. É um caso de lei. Mas se você está pedindo a minha opinião, e o que eu acho, eu acho o seguinte: se alguém comete um assédio em um ambiente de trabalho, por exemplo, isso é uma coisa inadmissível, é uma coisa que não cabe. 

Em seguida, lembrou de sua própria experiência:

- Eu quero lembrar a vocês que eu fui abusado duas vezes, uma vez na infância e outra na pré-adolescência, e eu sei como as vítimas sofrem, como as vítimas são a ponta mais fraca de tudo isso. Portanto, eu não tenho poder de polícia para decidir. Portanto, eu não vou dizer que sim e nem que não porque a minha opinião é exatamente a opinião da dúvida. Porque quando nos apressamos em dar uma opinião condenatória ou não, nós aí sim estamos sendo levianos. Eu estou sempre do lado da vítima. Sempre. Para mim não tem nenhuma questão sobre isso. Para mim não tem nenhuma dúvida, não há como você ter um ambiente de trabalho onde você tenha que conviver com algum tipo de assédio. Isso é inadmissível. Isso tem que ser combatido de uma maneira séria nas instituições, nas empresas, na vida pessoal da gente. Eu acho que esse é um assunto realmente muito sério. O que eu estou dizendo para você é que eu não sou juiz desse caso para bater o martelo sobre o que aconteceu ou não. 

Por fim, ainda diz:

- Em respeito a todos, inclusive as vítimas, que se elas um dia quiserem, puderem, isso é uma decisão que não é minha, elas têm todo o direito de vir a público e esclarecer as coisas. E eu posso voltar sim a falar desse assunto um dia que eu tiver informações ou tiver uma posição mais sólida quanto a uma questão mais séria. Eu não tô falando de futebol ou de Carnaval ou de um tema leve. É um tema sério, sim, e que envolve muita gente. Eu não posso nem pesar para um lado e nem para o outro. Mas a minha posição de neutralidade é a favor, óbvio, da vítima. Eu já passei por isso, eu sei o que é, mas eu não posso ser o juiz de uma situação que eu não sei qual é o material, eu não seio que de fato aconteceu.

Após as acusações virem à tona, Melhem foi afastado da TV Globo e, recentemente, teve o seu contrato encerrado. 

A seguir, relembre os famosos que já foram acusados de assédio:


John Lasseter, chefe de animação da Disney e da Pixar, que dirigiu grandes filmes como Toy Story, Carros e Vida de Inseto, anunciou para seus funcionários o afastamento de seu cargo após o The Hollywood Reporter reunir uma série de acusações de má conduta. O site norte-americano relatou que fontes informaram que John era conhecido por agarrar, beijar e fazer comentários sobre aparência física. A atriz Rashida Jones e seu parceiro Will McCormack teriam até desistido de escrever o roteiro de Toy Story 4, por causa do assédio de Lasseter. Em comunicado interno, ele não fala sobre o assédio, mas pede desculpas se alguém se sentiu desrespeitado ou desconfortável por causa de conversas dolorosas e erros que ele cometeu durante a carreira. Recentemente tive diversas conversas que foram muito dolorosas para mim. Nunca é fácil assumir erros, mas é a única forma de aprender. Como resultado, tenho pensado muito no líder que sou hoje comparado ao mentor, defensor e exemplo que quero ser. Foi me dito que fiz alguns de vocês se sentirem desrespeitados e constrangidos. Essa nunca foi a minha intenção. Coletivamente, vocês são o meu mundo e me desculpo profundamente se os decepcionei. Quero me desculpar especialmente com qualquer um que tenha recebido um abraço indesejado ou qualquer gesto, de qualquer forma ou maneira, que pareça inapropriado. Não importa o quão benigna tenha sido minha intenção, todos tem o direito de estabelecer os próprios limites e tê-los respeitados, disse em comunicado. Lasseter ainda continuou e afirmou que irá se afastar do cargo por causa das acusações: Por mais difícil que seja para mim me afastar de um trabalho que amo e de um time que tenho em alta consideração, não apenas como artistas, mas como pessoas, sei que isso é o melhor para todos agora. Minha esperança é que esses seis meses sabáticos sejam a oportunidade de me cuidar melhor, recarregar e me inspirar, voltando com discernimento e perspectiva que preciso para ser o líder que vocês merecem.

Deixe um comentário

Atenção! Os comentários do portal Estrelando são via Facebook, lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook.

Enquete

O que você achou de Marco Pigossi assumindo o relacionamento com um diretor italiano?

Obrigado! Seu voto foi enviado.