X

NOTÍCIAS

Publicada em 12/04/2021 às 10:00 | Atualizada em 12/04/2021 às 10:12

Príncipe Harry já está na Inglaterra - e especialistas indicam que príncipe William pode dar o primeiro passo na reaproximação entre os dois

O encontro entre os irmãos, que acontecerá no velório de príncipe Philip, está cercado de expectativas

Da Redação

The Grosby Group

Príncipe Harry já está entre os membros da família real - e cumpre a quarentena antes de ir ao velório do avô, príncipe Philip, em um chalé localizado nos jardins do Palácio de Kensington, onde mora seu irmão, príncipe William, com a família. De acordo com o Daily Mail, Harry deverá permanecer em isolamento durante cinco dias e então apresentar um teste negativo para o novo coronavírus - e os veículos britânicos afirmam que o encontro entre os dois irmãos está cercado de expectativas.

O veículo ainda informa que Harry deixou sua mansão na Califórnia na noite do último sábado, dia 10, e embarcou em um longo voo noturno diretamente para a Inglaterra, onde desembarcou por volta das 13h locais - cerca de 9h no Brasil. Lá, ele foi recebido por um segurança que o escoltou até o chalé Nottingham, local onde pediu Meghan Markle em casamento, onde deverá cumprir alguns dias de isolamento.

Ainda segundo informações do Daily Mail, especialistas apontam que o funeral do príncipe Philip, que morreu na última sexta-feira, dia 9, é a oportunidade ideal para que os dois irmãos ponham suas diferenças em dia - informação reafirmada pelo The Sun, que aponta a ausência de Meghan Markle como algo que pode deixar Harry mais à vontade para conversar com o irmão mais velho:

- Se algo de bom pode resultar da morte do Duque de Edimburgo, isso [a reaproximação entre William e Harry] pode ser uma dessas coisas. Agora eles só precisam se unir e, com sorte, isso realmente será o que os colocará cara a cara. A pandemia manteve Harry longe da família por tanto tempo que tem sido impossível resolver a diferença deles e é disso que eles precisam. Eles precisam estar juntos. Me pergunto se estar sozinho com sua família dará a Harry aqueles momentos para conversar e refletir.

No entanto, fontes também relembram que a quarentena de Harry acaba somente na sexta-feira, e que o fato de que o funeral será realizado no sábado, dia 17, pode dar aos irmãos pouco tempo para conversas.

Apesar disso, o jornal The Mirror aponta que, segundo relatos, os irmãos devem ficar lado a lado na procissão que acompanhará o corpo do Duque de Edimburgo até a capela de St. George. O caixão do príncipe Philip será escoltado até o local a bordo de um carro Land Rover adaptado, enquanto membros da família real irão seguir o cortejo a pé. O veículo ainda conta que a maneira inusitada de transportar o corpo veio de um pedido do falecido príncipe, que teria dito feito o seguinte pedido à rainha sobre seu velório:

- Basta me colocar na traseira de um Land Rover e me levar até Windsor.

O príncipe Charles, pai de William e Harry, deve andar ao lado dos filhos e de tantos outros membros da realeza que seguirão o caixão - mas a própria caminhada parece oferecer um desafio a mais para Harry já que, de acordo com o Daily Mail, será a primeira vez em que ele não poderá usar um traje militar durante um evento oficial da realeza.

Em 2020, quando optou por deixar o status de membro sénior da família real britânica, Harry também acabou sendo destituído de seu papel como capitão-geral dos Royal Marines - um segmento da Marinha do Reino Unido -, que assumiu diretamente de príncipe Philip. Ele também perdeu outros dois cargos militares honorários, de modo que não pode mais utilizar o uniforme correspondente e deverá se apresentar vestindo um terno adornado com as medalhas que conquistou durante sua atividade, assim como outros ex-militares como, por exemplo, seu tio Andrew, o Duque de York, que se afastou da vida pública depois que sua amizade com o falecido pedófilo condenado Jeffrey Epstein veio à tona.

O veículo ainda aponta que outros membros da família real como o Príncipe de Gales, o Duque de Cambridge e o Conde de Wessex devem trajar uniformes oficiais durante a cerimônia fúnebre - mas o The Sun alega que William pode acabar abandonando essa tradição para evitar constranger seu irmão.

De acordo com um biógrafo da família real, pode ser que o príncipe William opte por deixar de lado as vestimentas oficiais e use um terno com suas medalhas, assim como o irmão. O objetivo, além de evitar que as atenções se voltem para a diferença entre os irmãos e não para os feitos de príncipe Philip, seria evitar qualquer constrangimento para o pai de Archie Harrison:

- Isso é obviamente muito sensível. Qualquer coisa que distinguisse os irmãos dessa forma, que seria tão óbvio para qualquer um que estivesse assistindo, provavelmente seria evitada. Tudo o que não queremos é qualquer forma de rixa. Minha opinião é que eles fariam todo o possível para garantir que os holofotes neste dia muito, muito importante estivessem onde deveriam estar, e isso nas conquistas verdadeiramente notáveis de alguém com energia sobre-humana que fez tanto pela Rainha e pelo país.

Outra possível alternativa é que seja cedido para Harry um uniforme militar básico após seus anos de serviço.

Velório restrito

Enquanto as atenções se voltam para o tão esperado encontro entre Harry e seus familiares, principalmente após a polêmica entrevista que o príncipe e sua esposa, Meghan, deram à Oprah Winfrey, a Rainha Elizabeth II parece ter outras preocupações. Por conta das medidas de prevenção contra o novo coronavírus, o velório de príncipe Philip será limitado para apenas 30 pessoas - de modo que alguns membros da família real devem ficar de fora da lamentação.

De acordo com o The Telegraph, a presença de membros mais velhos da família real, como o príncipe Charles e sua esposa Camilla, a Duquesa da Cornualha, o Duque de York, Andrew, o conde e a condessa de Wessex, Edward e Sophie, e a princesa real Anne e seu esposo, o vice-almirante Sir Timothy Laurence. 

Além deles, os netos de príncipe Philip também devem comparecer: além de Harry e William, que estará acompanhado da esposa Kate Middleton, Peter Phillips, Zara Tindall e seu marido Mike, a princesa Beatrice, a princesa Eugenie, Lady Louise Windsor e o visconde Severn parecem estar confirmados.

Somados à própria rainha, a lista de convidados já estaria com 18 pessoas. O veículo ainda afirma que outros nomes possíveis são Lady Pamela Hicks, prima de primeiro grau do Duque de Edimburgo, Penelope Knatchbull, condessa Mountbatten da Birmânia, além de oito primos da Rainha Elizabeth II. Com isso, sobrariam duas vagas entre os convidados - que podem ser preenchidas pelos esposos das princesas Beatrice e Eugenie.

Os bisnetos da rainha, como os três filhos de William e Kate Middleton, os príncipes George e Louis e a princesa Charlotte, e as crianças de Zara Tindall, Mia, Lena e Lucas Tindall, não são esperados na cerimônia. O veículo também alega que mais informações devem ser fornecidas pelo palácio real ao longo da semana.

A seguir, relembre curiosidades sobre o marido da Rainha Elizabeth II:


Philip jogou pólo até 1971 e também competiu em corridas de carruagem e de barco. Ele também gostava muito de pilotar aviões, de pinturas a óleo e de colecionar arte. E algo polêmico, e que até hoje se fala sobre, é o fato de Philip e Elizabeth não apoiarem o relacionamento de Charles com Diana. Em 1981, ele pressionou o filho para ou se casar ou terminar com ela, mas ambos acabaram se casando. Quando Diana morreu em um acidente de carro em 1997, o enterro foi conturbado: Mohamed Al Fayed, o pai de Dodi Fayed, que estava no veículo com a ex-esposa de Charles, acusou Philip de ter planejado o acidente. Porém, essa teoria nunca foi efetivamente provada.

Deixe um comentário

Atenção! Os comentários do portal Estrelando são via Facebook, lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook.

Enquete

Kourtney Kardashian está noiva! O que você acha do relacionamento dela e de Travis Barker?

Obrigado! Seu voto foi enviado.