X

NOTÍCIAS

Publicada em 19/07/2021 às 08:51 | Atualizada em 19/07/2021 às 09:08

Após prisão do DJ Ivis, Pamella Holanda fala sobre demora em denunciar agressões: - Eu tinha medo, eu tinha vergonha

A moça comentou sobre a violência doméstica que viveu em conversa com o Fantástico

Da Redação

Divulgação

Na semana do dia 12 de julho, o caso de agressão doméstica do DJ Ivis contra Pamella Holanda e a consequente prisão do artista se tornaram um assunto de grande repercussão entre famosos e internautas. Já na noite do último domingo, dia 18, a moça concedeu uma entrevista ao Fantástico e deu mais detalhes sobre o que viveu,. 

Em seu depoimento, Pamella relembrou a trajetória de seu relacionamento com o DJ: os dois se conheceram através das redes sociais em 2018, começaram a namorar em 2019 e passaram a morar juntos em 2020, pouco antes que ela descobrisse a gravidez - e, também, quando começaram as agressões.

- Quando comecei a morar com ele, ele já começou a me agredir. Começou verbalmente, com palavrão, grosseiras. [A primeira agressão física ocorreu quando] eu estava grávida de cinco para seis meses. Me segurou pelo pescoço e foi me arrastando do corredor até o sofá.

Pamella conta que, desde então, as agressões continuaram a ocorrer de diferentes formas até o dia primeiro de julho de 2021, quando ocorreu a violência que a levou a fazer a denúncia. Ela relata que confrontou o então companheiro com um boato de traição, dando início às pancadas - que teriam, inclusive, acertado o rosto da moça, como ela relata também em depoimento ao colunista Leo Dias:

- Fiquei sem conseguir enxergar no olho esquerdo, foi a hora que eu comecei a chorar e ele chamou a mãe dele. Ela olhou assim, e falou: Não tem nada no teu olho. Nisso eu já não estava conseguindo nem enxergar.

No dia seguinte, Holanda conta que uma nova agressão foi impedida pela governanta da casa. A mãe da pequena Mel relata que estava descendo as escadas quando ouviu a funcionária pedindo ao DJ que parasse com as atitudes violentas - mas, quando Pamella chegou na cozinha, a governanta teve de segurar o artista:

- Desci umas 10h, quase 11h para poder fazer o leite dela e já começou a discutir. A funcionária dele também estava na hora na cozinha. Foi na hora que ele pegou uma faca na gaveta da cozinha. A funcionária dele foi e segurou o braço dele.

Com isso, Pamella teria pedido auxílio na portaria do condomínio, pedindo que os funcionários chamassem a polícia. Ela, no entanto, só conseguiu a ajuda de uma vizinha, e conta que quando a ajuda chegou, foi instruída a prestar depoimento na delegacia ao lado do companheiro. Na época, apenas Ivis falou com as autoridades, sendo que Pamella deixou o local sem ser ouvida por medo do que poderia ocorrer.

Foi apenas no dia seguinte que a moça teve coragem de ir até a delegacia para prestar seu próprio depoimento e fazer o exame de corpo de delito, além de publicar os registros das agressões nas redes sociais. A moça conta, ainda, o que a impediu de fazer a denúncia antes:

- Eu tinha medo, eu tinha vergonha. Eu estava realizando um sonho, eu estava grávida. Eu sempre quis ser mãe.

Durante a conversa com o Fantástico, Holanda ainda defende a mãe, que aparece como testemunha das agressões em um dos registros. Além de, anteriormente, ter revelado que a mãe só ficou sabendo da situação ao presenciar uma das violências, ela conta que a avó de sua filha ficou sem reação:

- Ela pedia pra ele não fazer. Não bata na minha filha, ela só conseguia falar isso.

Desabafo nas redes sociais

Através dos Stories do Instagram, Pamella chegou a desabafar sobre uma série de acusações que tem recebido online, e admitiu estar sendo ofendida e ameaçada por internautas. Diante disso, ela chegou a defender a mãe de ser conivente com as agressões:

Minha mãe não recebia um centavo do então meu ex-companheiro para ser conivente com as agressões, pelo amor de Deus. Que absurdo! Que espécie de mulher seria ela?

Além disso, ela revela que teve que deixar o local onde morava com o DJ por falta de pagamento do imóvel, e também rebateu as acusações de que teria se envolvido com o DJ por interesse ou comodidade:

Eu retirei ontem todas as minhas coisas e as da minha filha da casa em que morávamos porque a construtora pediu porque por falta de pagamento eu não poderia estar mais lá. Então em hipótese alguma podem dizer que eu estava com ele por interesse, por comodidade ou qualquer justificativa que ponha em questão meus valores e princípios. Seria muito mais fácil estar num palácio, do que ter a coragem de dar um ponto final numa vida de aparências.

Por fim, ela agradece pelas mensagens de apoio e admite que deseja ver o caso encerrado:

Obrigada pelas mensagens, pela preocupação de todos comigo e com a Mel. Eu não estou bem, mas a Mel está, e isso é o que me fortalece. Eu quero muito dar isso por encerrado. Eu preciso e quero seguir minha vida. Eu não posso viver revivendo isso, recontando e me explicando. Eu entendo que as pessoas gostam de transparência, nesse momento preciso ser até para seguir em paz.

A seguir, relembre os famosos que já se envolveram em casos de agressões


Em outro Big Brother Brasil, mais precisamente na edição 16, Ana Paula Renault deu um tapa no rosto de Renan, que na hora pediu a eliminação da sister. Pouco tempo depois, foi revelado para a casa que a participante realmente havia sido eliminada. Em entrevista ao Fantástico, ela desabafou: - Aquilo não foi um tapa. Tapa na cara é você dar um murro na cara da pessoa. Os tapas do Renan não poderiam ter acontecido diferente, eu estava no limite da minha razão.

Deixe um comentário

Atenção! Os comentários do portal Estrelando são via Facebook, lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook.

Enquete

O que você achou da reconciliação entre Sammy e Pyong Lee?

Obrigado! Seu voto foi enviado.