X

NOTÍCIAS

Publicada em 16/08/2022 às 18:24 | Atualizada em 16/08/2022 às 18:25

Gilberto Barros é condenado a dois anos de prisão por falas homofóbicas, diz colunista

O apresentador fez o comentário ofensivo durante seu programa Amigos do Leão, em 2020

Da Redação

Divulgação

Como você acompanhou aqui no ESTRELANDO, em 2020, Gilberto Barros foi acusado de cometer crime de homofobia. Na ocasião, o apresentador comentou, durante seu programa no YouTube chamado Amigos do Leão, que não aceita ver dois homens se beijando. Ele ainda contou que bateria nos indivíduos, caso o beijo fosse na sua frente: Hoje em dia, se quiser fazer na minha frente, faz, apanha os dois, mas faz.

Porém, nesta terça-feira, dia 16, toda a comunidade LGBTQIA+ pode comemorar. Segundo a colunista Monica Bergamo, o Tribunal de Justiça de São Paulo condenou Gilberto a dois anos de prisão pelo comentário homofóbico. Monica ainda revelou que, por conta da pena não ser tão alta, a juíza responsável pelo caso deixou o apresentador prestar serviços à comunidade e pagar cerca de cinco salários mínimos para a compra de cestas básicas.

Vale lembrar que em fevereiro de 2022 Gilberto Barros foi condenado pelo crime, mas apresentou defesa e poderia entrar com recurso. A defesa em questão confirmava a fala, porém não assumia a acusação. O sangue italiano do apresentador foi o culpado.

Pelo seu sangue italiano, ele costuma falar muito, mas jamais teve a intenção de incitar a violência.

Vish, deu ruim! 

Deixe um comentário

Atenção! Os comentários do portal Estrelando são via Facebook, lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook.

Enquete

Você acha que Davi merece ganhar o BBB24?

Obrigado! Seu voto foi enviado.

Gilberto Barros é condenado a dois anos de prisão por falas homofóbicas, diz colunista

Gilberto Barros é condenado a dois anos de prisão por falas homofóbicas, diz colunista

17/Abr/

Como você acompanhou aqui no ESTRELANDO, em 2020, Gilberto Barros foi acusado de cometer crime de homofobia. Na ocasião, o apresentador comentou, durante seu programa no YouTube chamado Amigos do Leão, que não aceita ver dois homens se beijando. Ele ainda contou que bateria nos indivíduos, caso o beijo fosse na sua frente: Hoje em dia, se quiser fazer na minha frente, faz, apanha os dois, mas faz.

Porém, nesta terça-feira, dia 16, toda a comunidade LGBTQIA+ pode comemorar. Segundo a colunista Monica Bergamo, o Tribunal de Justiça de São Paulo condenou Gilberto a dois anos de prisão pelo comentário homofóbico. Monica ainda revelou que, por conta da pena não ser tão alta, a juíza responsável pelo caso deixou o apresentador prestar serviços à comunidade e pagar cerca de cinco salários mínimos para a compra de cestas básicas.

Vale lembrar que em fevereiro de 2022 Gilberto Barros foi condenado pelo crime, mas apresentou defesa e poderia entrar com recurso. A defesa em questão confirmava a fala, porém não assumia a acusação. O sangue italiano do apresentador foi o culpado.

Pelo seu sangue italiano, ele costuma falar muito, mas jamais teve a intenção de incitar a violência.

Vish, deu ruim!