X

NOTÍCIAS

Publicada em 29/01/2019 às 23:07 | Atualizada em 29/01/2019 às 17:47

Mel Lisboa fala sobre ser comparada com Nicole Kidman em peça: - Não queria tentar fazer o que ela faz

Atriz está interpretando a mesma personagem que a norte-americana fez em 2003, em Dogville

Roberta Tokunaga

Divulgação

Atuar em teatro já não deve ser fácil, interpretar uma personagem que já foi de Nicole Kidman então, deve ser mais treta ainda! É isso o que está acontecendo com Mel Lisboa, que está em cartaz com a peça Dogville, em São Paulo. A brasileira faz o papel principal da história, que já foi protagonizada por Nicole em 2003 no filme de mesmo nome. Em uma entrevista exclusiva para o ESTRELANDO, Lisboa falou sobre as comparações que iria sofrer ao fazer o papel de Grace:

- Tem um agente complicador que é ter uma referência mundial da Nicole Kidman, então você pensa: Poxa, como que faz, né? Complicado... Vou fazer um papel e as pessoas vão ficar comparando: Ah, mas Nicole Kidman fazia assim... Então, nesse sentido eu usei a estrategia de não ver mais o filme, porque eu não queria nem tentar fazer o que ela faz e nem tentar me distanciar. Eu queria fazer a minha! A minha leitura, a minha forma de ver, porque se não eu estaria de qualquer maneira tendo essa referência muito forte. E o que a gente faz é uma outra coisa, é o mesmo texto mas é outra coisa.

Mas esse não foi o único desafio da atriz! Ela ainda contou que o papel em si foi algo trabalhoso em vários sentidos:

Fazer o papel como um todo foi o mais difícil! Porque são várias coisas, o papel é pesado, ambíguo, sofre uma série de violências sem falar nada, essa agonia de ela não falar, não reagir, ir perdoando e ficando naquela cidade. Toda essa questão que a Grace traz, isso para mim era super complicado

Isso porque, a personagem de Mel sofre abusos sexuais ao decorrer da trama. E mesmo que, para o público, essas cenas pareçam ser as mais difíceis, a loira garante que não:

A questão das cenas de estupro, nesse sentido elas são bem técnicas pra gente que está no palco. E isso é muito importante! Antes de começar a fazer, eu sempre pensei nisso, da questão técnica. Quem fica violentado é a plateia, e é essa a ideia! Eu não preciso sair toda destruída do teatro, eu não posso! Eu faço todo dia, eu acho que é interessante quando causa esse tipo de reação na plateia, é isso o que a gente quer fazer! Pra isso, tem que ter a técnica ao seu lado

A peça está em cartaz no Teatro Porto Seguro, às sextas e sábados, às nove horas da noite, e aos domingos, às sete horas da noite.

A seguir, veja o que mais Mel Lisboa já falou sobre Dogville:


Fábio ainda comentou sobre o processo de criação dos personagens, que foi feito por toda a equipe em trabalho coletivo: - Foi um processo conduzido no primeiro momento pela Inês, depois pelo Zé, mas compartilhado por todos e por várias frentes, parte física, parte de pesquisa, trabalho de pegar o texto, trabalho de dividir os movimentos e nomear cada movimento e tudo isso. Foram dois meses e meio de coletividade.

Deixe um comentário

Atenção! Os comentários do portal Estrelando são via Facebook, lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook.

Enquete

A gente sabe que as três arrasam! Mas entre Xuxa, Angélica e Eliana, qual a sua favorita?

Obrigado! Seu voto foi enviado.